Ginecologia

Educação cística-sólida - o que é isso?

Pin
Send
Share
Send
Send


Uma mulher trabalhou por 15 anos em uma fábrica de produtos químicos. As doenças crônicas nunca sofreram. Na infância, sofreu catapora, coqueluche. Cresceu e se desenvolveu de acordo com a idade. História ginecológica sem características: 2 gravidezes que ocorrem normalmente no resultado - trabalho fisiológico sem complicações. Prof. exame por um ginecologista não passou. De fevereiro de 2015 o paciente começou a notar um aumento no volume do abdome. Houve queixas de peso e falta de ar ao caminhar.

Ela procurou um ginecologista no local de residência no início de abril de 2015, após o qual foi hospitalizada e examinada, e o diagnóstico foi feito: “Doença ovariana esquerda. Ascites Incontinência urinária. Oncomarkers: CA 125 = 43,7.

Hospitalizado em LRTs para tratamento cirúrgico planejado.

DIAGNÓSTICO NA ADMISSÃO: Exposta: Formação gigante cística-sólida do ovário esquerdo. Ascites Anemia de gravidade moderada.

Paciente Completado: Laparotomia. Extirpação do útero com apêndices. Ressecção do cólon transverso, com anastomose lado a lado. Linfadenectomia pélvica e para-aórtica em ambos os lados. Omentectomia. Separação de aderências na pélvis.

Em operações na cavidade abdominal: fluido ascítico - 4000 ml. Um útero com aparelho ligamentar estendido, rejeitado por um tumor multicâmara, que ocupa toda a bacia, com dimensões de 27x20x15 cm, de forma irregular foi encontrado. Realizada omentectomia. Ressecção do cólon transverso com a imposição da anastomose do método lado a lado manual e do tipo sutura em dupla fileira. Com grande dificuldade técnica, um tumor ovariano foi removido. Extirpação do útero com a remoção do tumor. Linfadenectomia pélvica e paraaórtica em ambos os lados.

O período posoperativo foi monótono. No futuro, o paciente está agendado para quimioterapia.

Operado em: Sokolschik MM, Karev I.A., Cherkashina E.V.

Como a educação cística-sólida ameaça a vida

Para começar, notamos que todos os diversos tipos de tumores conhecidos no momento podem ser divididos em duas categorias:

  • Benigna (não formando metástases e, portanto, não é cancerígena).
  • Maligno (formando metástases únicas ou múltiplas, que quase sempre se espalham por todo o corpo, o que é uma das principais causas de morte do paciente).

Em cerca de 90% dos casos, é possível dizer sobre a formação de sólidos císticos, que este tumor é benigno, ou seja, seguro para a vida. É claro que essa previsão só se concretiza se o paciente não recusar o tratamento oferecido pelo médico e implementar meticulosamente todas as recomendações. Apenas uma pequena porcentagem dessas patologias é maligna. Neste caso, não estamos falando da transformação de um tumor benigno em maligno. Naqueles poucos pacientes que têm “sorte” de entrar naqueles 10% fatais, a patologia é inicialmente diagnosticada como maligna.

Educação cística-sólida - o que é

Ambos os tumores "bons" e "maus" são classificados de acordo com suas características morfológicas. Entre as neoplasias, existem:

  • Cística. O mais seguro, por via de regra, facilmente tratável. Eles são diferentes em forma, tendem a crescer, encolher e desaparecer completamente por várias razões. Eles são uma cavidade preenchida com uma substância viscosa.
  • Sólido O mais perigoso, em condições precárias, incurável. Eles são caracterizados por uma casca dura, que implica a invariância de formas e tamanhos, ou seja, eles não aumentam, diminuem ou desaparecem. No interior, os tumores sólidos são preenchidos com fragmentos de tecido.
  • Cístico-sólido. Eles são um cruzamento entre o primeiro e o segundo tipo de tumores. Eles podem aparecer em qualquer órgão, o que determina a natureza do substrato em sua cavidade. Na maioria dos casos, contém partes do tecido e líquido.

Neoplasias no cérebro

Os tumores cerebrais são os mais alarmantes para os pacientes. A formação cística-sólida (mesmo benigna) sempre espreme as áreas adjacentes do cérebro, o que causa dores de cabeça insuportáveis ​​em um paciente. A razão para tais sensações pesadas reside no fato de que o cérebro está envolto em uma casca dura (crânio), então qualquer tumor simplesmente não tem para onde ir. O novo crescimento nos tecidos moles tem a capacidade de se projetar ou ocupar as cavidades do corpo. A compressão força um tumor cerebral a pressionar as células vizinhas, impedindo que o sangue as alcance. Além da dor, é repleta de perturbações em todos os sistemas do corpo (digestivo, motor, sexual e assim por diante).

Causas

A ciência ainda não sabe ao certo todas as causas que causam o aparecimento de tumores malignos e benignos. No caso da ocorrência de formações cístico-sólidas do cérebro, as seguintes razões são distinguidas:

  • Irradiação
  • Long ficar no sol.
  • Estresse.
  • Infecções (especialmente oncovírus).
  • Predisposição genética. Observe que o fator hereditário pode ser chamado de causa de um tumor em qualquer órgão, não apenas no cérebro, mas os especialistas não o consideram uma prioridade.
  • A influência de fatores carcinogênicos (trabalho com reagentes, vivendo em áreas ecologicamente desfavoráveis). Por esta razão, tumores de natureza diferente ocorrem mais freqüentemente em pessoas que, em virtude de sua profissão, trabalham com pesticidas, formaldeídos e outros produtos químicos.

Sintomatologia

Essa patologia pode se manifestar de diferentes maneiras, dependendo de sua localização. Assim, para a formação cística-sólida da medula oblonga (lembre-se, este departamento está localizado na parte de trás da cabeça e é uma continuação da medula espinhal), caracterizado pelas seguintes manifestações:

  • Tontura.
  • Surdez (geralmente se desenvolve em um ouvido).
  • Dificuldade em engolir, respirar.
  • Sensibilidade prejudicada no nervo trigêmeo.
  • Interrupção da atividade motora.

Tumores na medula oblonga são os mais perigosos, uma vez que praticamente não são passíveis de tratamento. Ao ferir a medula oblongata, a morte ocorre.

Em geral, as formações cístico-sólidas em diferentes partes do cérebro são caracterizadas por tais sinais:

  • Dores de cabeça, até vômitos.
  • Tontura.
  • Insônia ou sonolência.
  • Comprometimento da memória, orientação no espaço.
  • Visão prejudicada, fala, audição.
  • Distúrbio de coordenação.
  • Mudanças de humor freqüentes sem motivo aparente.
  • Tensão muscular
  • Alucinações de som.
  • A sensação de que na minha cabeça algum tipo de pressão inexplicável.

Se uma formação cística-sólida da medula espinhal tiver surgido, isso se manifesta por dores, agravadas na posição supina e à noite, descendente lombalgia, função motora alterada, paresia.

Se pelo menos alguns sinais aparecerem na lista acima, você deve ir imediatamente ao médico.

Formação sólida cística na glândula tireóide

Via de regra, uma formação cística-sólida na glândula tireóide é uma cavidade limitada por uma membrana densa preenchida com células da própria tireóide. Tais cavidades são observadas únicas e múltiplas. As causas podem ser as seguintes:

  • Fator hereditário.
  • Estresse freqüente.
  • Distúrbios hormonais.
  • Deficiência de iodo.
  • Doenças infecciosas.

A formação cística-sólida da glândula tireóide pode não se manifestar de todo e pode ser detectada por acaso durante um exame de rotina do paciente. Em tais casos, o médico usa palpação para pequenas focas na glândula tireóide. Muitas pessoas com esta patologia aparecem reclamações:

  • Dificuldade e até sensação dolorosa ao engolir.
  • Dispnéia (que não estava lá antes) ao caminhar.
  • Rouquidão
  • Sensações dolorosas (sinal não característico).

A aparência de uma formação cística-sólida nos lobos esquerdo ou direito da glândula tireóide é sentida aproximadamente igualmente. Muitas vezes são muito pequenos (até 1 cm). No entanto, casos de formação cística-sólida muito volumétrica (mais de 10 cm) foram registrados.

Formação sólida cística nos rins e na pequena pelve

Os tumores renais em homens e mulheres ocorrem com frequência aproximadamente igual. Mas as mulheres mais frequentemente do que os homens parecem formações císticas-sólidas na pélvis. O que isso pode trazer para os pacientes? Desde que tal patologia se observa principalmente nos representantes do sexo mais fraco em idade fértil, sem tratamento oportuno, pode levar à infertilidade. A principal causa da doença são distúrbios hormonais causados ​​por:

  • Gravidez
  • Clímax.
  • Aborto
  • Tomar pílulas anticoncepcionais.

Os tumores se manifestam por dor na região lombar e / ou no baixo ventre, cefaléia, irregularidades menstruais.

Nos rins, formações cístico-sólidas aparecem por tais razões:

  • Órgão de ferimento.
  • Tuberculose (desenvolvimento nos rins).
  • Infecções
  • Operações
  • Pedras, areia nos rins.
  • Hipertensão.
  • Anomalias congênitas do órgão.

Os pacientes queixam-se de dor na região lombar, dificuldades em urinar, pressão arterial instável.

Diagnóstico

Formações cístico-sólidas de qualquer localização são diagnosticadas usando os seguintes métodos:

Quando lesões císticas-sólidas aparecem na medula espinhal, uma radiografia adicional da coluna vertebral, eletroneuromiografia e angiografia da coluna vertebral são realizadas.

A detecção de um tumor sólido cístico não é motivo para se preparar para a morte. Na maioria dos casos, essa patologia é tratada com sucesso. Segundo o depoimento, o médico pode prescrever medicação ou cirurgia. Isso depende principalmente da localização do tumor. Assim, na formação cística-sólida na medula oblonga, as operações não são realizadas, apenas o tratamento com pílulas e radioterapia é praticado. Com a localização do tumor em outras partes do cérebro, como regra, a intervenção cirúrgica é prescrita usando laser e ultra-som. A quimioterapia e a radioterapia são prescritas apenas se o tumor estiver inoperável. Com esta patologia na glândula tireóide, os métodos de tratamento dependem do tamanho da formação. Pequenos nódulos (até 1 cm) são tratados com comprimidos. Quando formações maiores aparecem, elas podem prescrever uma punção com subsequente remoção da parte afetada da glândula tireóide.

É claro que a aparência de um tumor em qualquer órgão deve ser levada a sério. Se um paciente consulta um médico a tempo e preenche todas as suas prescrições, então uma formação cística-sólida no rim, na glândula tireóide, no sistema urogenital e em alguns outros órgãos pode ser curada completamente e sem complicações. O resultado do tratamento de tal patologia no cérebro é menos favorável, já que a intervenção cirúrgica quase sempre afeta os tecidos vizinhos, o que pode levar a várias complicações. Um tumor na medula espinhal ou na medula oblonga é a opção com o resultado menos favorável. Mas mesmo nesses casos, o tratamento oportuno pode salvar a vida do paciente.

Classificação

Existem vários tipos de formações que diferem em tamanho, causa, taxa de crescimento, o conteúdo da cápsula. Os menos perigosos para a saúde são os cistos causados ​​por irregularidades menstruais e outros tipos com uma estrutura de câmara única.

A doença é dividida em dois tipos principais de acordo com o diâmetro das lesões detectadas - as grandes alterações císticas e pequenas císticas nos ovários.

Na maioria das vezes, o tipo funcional de patologia que surgiu sob a influência da falha do ciclo menstrual é encontrado em mulheres jovens. A formação epitelial ou cística-sólida do ovário, independente do curso do ciclo, é diagnosticada em qualquer idade. O tamanho grande dos cistos é mais freqüentemente presente em mulheres após 40 anos.

Os tipos mais comuns de lesões císticas dos ovários direito e esquerdo:

  1. Folicular Desenvolver na ausência de ovulação do folículo nelopnushego contendo o ovo. Educação funcional, capaz de desaparecer por si mesma em 2-3 meses.
  2. Cisto do corpo lúteo. A consequência da falha hormonal, tomando contraceptivos orais e medicamentos para estimular a ovulação. Formada a partir do corpo lúteo, que ocorre no local do folículo imediatamente após a liberação do óvulo. Degeneração cística pequena funcional dos ovários, muitas vezes resolve por conta própria.
  3. Dermo Desenvolver na infância, indicar a presença de distúrbios no período de desenvolvimento pré-natal. Contenha tecidos de cabelo, unhas, dentes, etc. Removida apenas cirurgicamente, raramente representa um sério risco à saúde.
  4. Hemorrágica. Muitas vezes desenvolvem-se de cistos funcionais. Cheio de coágulos sanguíneos. Acompanhado por uma violação do ciclo menstrual.
  5. Endometrioide. Pequena transformação cística dos ovários, ocorre com um longo curso de endometriose. Contém um líquido marrom com impurezas no sangue. Uma operação é necessária para sua eliminação.
  6. Paraovarial. Espécies de crescimento lento capazes de atingir tamanhos grandes com uma longa ausência de intervenção médica. Essas lesões císticas no ovário são removidas apenas durante a cirurgia.
  7. Serosa Muitas vezes são a causa do câncer de apêndice, têm a capacidade de atingir tamanhos grandes.
  8. Mucinoso. Formação cística multi-câmara do ovário. Cada cápsula é preenchida com muco. Capaz de crescer rapidamente e crescer para tamanhos enormes. Propenso a malignidade
  9. Papilar Tem muitas papilas na superfície. Removido pela operação devido ao risco de oncologia.

Apenas tipos funcionais de lesões císticas do ovário esquerdo ou direito podem não necessitar de tratamento. Sua ocorrência é uma razão para verificar o nível dos níveis hormonais.

Predisposição genética

O risco de desenvolver alterações císticas no ovário direito ou esquerdo aumenta com a presença dessa patologia nos parentes próximos do paciente. Muitas vezes, essas doenças ocorrem na mãe ou avó de uma mulher. É necessário prestar especial atenção à sua própria saúde, se eles têm oncologia.

Excesso de peso

A obesidade é uma consequência da perturbação hormonal no corpo. É agravada pelo não cumprimento da dieta e um estilo de vida saudável. Mudar a dieta ajudará o paciente a se livrar de quilos extras, normalizar o trabalho dos órgãos endócrinos e acelerar o processo de cura.

Educação cística-sólida - o que é isso?

Muitas pessoas ficam assustadas se um tumor é subitamente encontrado em seus corpos. Por alguma razão, a maioria dos pacientes associa essas formações apenas ao câncer, o que certamente leva à morte. No entanto, a realidade não é tão triste.

Entre os numerosos tipos de tumores, há alguns inofensivos que não têm um efeito significativo na expectativa de vida. Tais tumores "bons" e formação cística-sólida. O que é, não é conhecido por todos, não relacionado à medicina.

Para algumas pessoas, a palavra “sólido” está associada ao conceito de “grande, tridimensional”, o que causa ainda mais preocupação e temor por suas vidas.

Neste artigo, vamos explicar de uma forma acessível e compreensível o que a patologia acima significa, como e por que aparece, quais são os sintomas e muitas outras informações úteis.

Para começar, notamos que todos os diversos tipos de tumores conhecidos no momento podem ser divididos em duas categorias:

  • Benigna (não formando metástases e, portanto, não é cancerígena).
  • Maligno (formando metástases únicas ou múltiplas, que quase sempre se espalham por todo o corpo, o que é uma das principais causas de morte do paciente).

Em cerca de 90% dos casos, é possível dizer sobre a formação de sólidos císticos, que este tumor é benigno, ou seja, seguro para a vida. É claro que essa previsão só se concretiza se o paciente não recusar o tratamento oferecido pelo médico e implementar meticulosamente todas as recomendações.

Apenas uma pequena porcentagem dessas patologias é maligna. Neste caso, não estamos falando da transformação de um tumor benigno em maligno. Naqueles poucos pacientes que têm “sorte” de entrar naqueles 10% fatais, a patologia é inicialmente diagnosticada como maligna.

Ambos os tumores "bons" e "maus" são classificados de acordo com suas características morfológicas. Entre as neoplasias, existem:

  • Cística. O mais seguro, por via de regra, facilmente tratável. Eles são diferentes em forma, tendem a crescer, encolher e desaparecer completamente por várias razões. Eles são uma cavidade preenchida com uma substância viscosa.
  • Sólido O mais perigoso, em condições precárias, incurável. Eles são caracterizados por uma casca dura, que implica a invariância de formas e tamanhos, ou seja, eles não aumentam, diminuem ou desaparecem. No interior, os tumores sólidos são preenchidos com fragmentos de tecido.
  • Cístico-sólido. Eles são um cruzamento entre o primeiro e o segundo tipo de tumores. Eles podem aparecer em qualquer órgão, o que determina a natureza do substrato em sua cavidade. Na maioria dos casos, contém partes do tecido e líquido.

Formação cística-sólida em vários órgãos

Para muitos pacientes, a terminologia médica é incompreensível e os diagnósticos causam pânico, ainda que, na verdade, sob o nome complexo, exista o resfriado comum.

Agora não é incomum ouvir sobre diagnosticar formações cístico-sólidas em humanos. De fato, não é uma doença incomum e tratável com sucesso.

Sabendo o que é uma formação cística-sólida e que esse paciente é curável, ele pára de entrar em pânico e está se recuperando mais rápido.

O que é formação sólida cística

Todas as formações císticas são uma cavidade preenchida com conteúdo líquido ou de tecido. A partir disso, existem três tipos de formações nos órgãos.

  1. A educação, cuja cavidade é preenchida com uma substância viscosa, refere-se a tumores benignos. Pode aparecer, desaparecer, aumentar ou diminuir de tamanho ao longo da vida. Este tipo de tumor pertence a formações císticas benignas e raramente renasce em um tumor maligno.
  2. Na terminologia médica, uma formação sólida significa um tumor que tem uma casca dura, limites claros. Dentro da formação contém um componente de tecido. Tal educação não desaparece e não muda o tamanho. Por via de regra, tal tumor é maligno.
  3. As formações dentro das quais contêm fluido e partes de tecidos são consideradas sólidas císticas. O que importa é a sua localização. A partir disso, depende muito do conteúdo que prevalecerá dentro da cavidade. Tais formações na maioria dos casos são benignas. Em casos raros, o tumor é inicialmente maligno.

Formações de órgãos cístico-sólido

Essas formações podem ocorrer em quase qualquer órgão. Sua ocorrência pode indicar uma violação no trabalho ou doenças associadas.

Mas há casos em que o desenvolvimento da patologia é quase assintomático, e o paciente aprende sobre isso aleatoriamente.

Na maioria das vezes formações cístico-sólidas são encontradas no exame da glândula tireóide, sistema urogenital, cérebro.

Formação de tireoide

Formação cístico-sólido na glândula tireóide são partículas de tecido do próprio órgão, que é limitado a uma casca densa. Tais formações podem ser únicas e múltiplas.
Especialistas identificam várias causas de nódulos tireoidianos que são importantes:

  • predisposição genética
  • doença prévia causada por infecção
  • tensão nervosa constante e estresse freqüente,
  • distúrbio hormonal.

Uma grande influência no funcionamento normal da glândula tireóide tem um conteúdo de iodo no corpo. Com sua escassez, esse órgão começa a falhar, o que todo o corpo sente.

Mesmo que o paciente não suspeite que ele tenha essa patologia, isso não significa que ela não se manifeste. Os sintomas incluem sonolência constante e fadiga. Reflete-se na aparência do paciente.

O cabelo fica quebradiço e começa a cair. A pele fica seca, propensa a descamação e tem uma aparência doentia.

A formação dos órgãos pélvicos e rins

Os rins e o ovário são precisamente os órgãos nos quais as formações císticas mais freqüentemente aparecem. Mesmo se eles são benignos, o seu tratamento tardio pode levar a complicações graves.

Patologias como cisto ovariano são mais suscetíveis a mulheres entre 20 e 50 anos. A principal causa de sua ocorrência é um desequilíbrio dos níveis hormonais.

Há uma série de fatores que levam ao seu fracasso e aumentam a probabilidade de patologia cística-sólida.

  1. Puberdade.
  2. O período de gestação e o período pós-parto. Aborto.
  3. Clímax em mulheres de 50 anos.
  4. Várias doenças que levam ao fracasso do fundo hormonal, incluindo doenças do sistema endócrino.
  5. Aceitação de drogas hormonais.
  6. Nível insuficiente de higiene pessoal.

Cistos que afetam os rins, um fenômeno bastante freqüente na medicina. As formações de órgãos podem ser de vários tipos, tanto císticas, sólidas e mistas.

Apesar do fato de os rins serem um órgão pareado, uma interrupção no trabalho de pelo menos um deles leva a sérias conseqüências.
Estatísticas médicas mostram que as pessoas são mais suscetíveis à patologia após 40 anos.

Basicamente, a doença afeta um dos rins, muito menos ambos. A formação de cistos é influenciada por vários fatores, que incluem:

  • vários ferimentos e contusões dos rins,
  • doença renal infecciosa
  • tuberculose do órgão
  • cirurgia ou outra cirurgia,
  • predisposição para formação de pedra no corpo ou a presença deles já,
  • hipertensão arterial
  • patologia do órgão ao nascimento.

Os cistos renais incluem anomalias congênitas do órgão e adquiridas durante a vida. Independentemente disso, os sintomas de uma formação cística-sólida são, em muitos aspectos, semelhantes. Normalmente, isso é:

  • dor na região lombar,
  • Pressão arterial "pula"
  • dificuldade em urinar

Uma dor constante indica sempre uma doença renal. Pode ser aguda ou monótona e monótona.

Formação do cérebro

A principal razão para a ocorrência de um cisto cerebral misto, como qualquer outro órgão, é a exposição a fatores adversos. Estes incluem:

  • radiação iônica
  • exposição prolongada do corpo à luz solar
  • contato constante com líquidos e vapores agressivos,
  • vírus e predisposição genética.

A patologia cística-sólida do cérebro é muito perigosa por suas complicações. O tumor atua em qualquer parte do órgão e o aperta, interrompendo seu suprimento com sangue. Isso significa que a nutrição de uma parte do cérebro é incompleta.

Como resultado, isso pode afetar a capacidade de uma pessoa se mover normalmente, o trabalho do sistema digestivo, o sistema reprodutivo é perturbado. Os sintomas da doença cerebral podem ser muito diferentes. Eles dependem da localização do cisto e do seu tamanho.

Mas, como mostra a prática, nem sempre a presença de uma formação de grande porte é manifestada por sintomas vívidos.

Os principais sintomas de um tumor cerebral sólido cístico são aumento da pressão intracraniana, dor de cabeça, tontura e vômitos.

Tumores ovarianos: sintomas, tratamento

Um tumor é uma proliferação excessiva de células patologicamente modificadas de um tecido. Os tecidos ovarianos são formados a partir de células de diferentes origens e desempenham diferentes funções.

Independentemente da estrutura celular, os tumores ovarianos em mulheres são uma massa que cresce a partir do tecido ovariano.

Na classificação, existem as formações semelhantes a tumores, que são formadas não pelo crescimento celular, mas como resultado da retenção (acumulação) na cavidade do fluido do ovário. Entre todas as doenças dos tumores do trato genital feminino, a média foi de 8%.

Tumores ovarianos malignos

Caracterizada pela ausência da casca, o crescimento rápido, a capacidade de penetrar células individuais e cordões de tecido do tumor no tecido saudável adjacente com danos para o último.

Isso leva à germinação também nos vasos sanguíneos e linfáticos vizinhos e à disseminação (disseminação) de células cancerosas com o fluxo de sangue e linfa para órgãos distantes.

Como resultado da disseminação, tumores metastáticos são formados em outros órgãos próximos e distantes.

A estrutura histológica (sob um microscópio) do tecido canceroso é atípica em seu aspecto significativamente diferente das seções saudáveis ​​adjacentes do tecido ovariano.

Além disso, as próprias células malignas são de aparência diversa, pois estão em processo de divisão e em diferentes estágios de desenvolvimento. O sinal mais característico das células malignas é sua semelhança com as células embrionárias (aplasia), mas elas não são idênticas às últimas.

Isso se deve à falta de diferenciação e, portanto, à perda da funcionalidade originalmente pretendida.

Na Rússia, no número total de doenças cancerígenas da população feminina, as neoplasias malignas ocupam o sétimo lugar e, entre todos os tumores dos órgãos reprodutivos femininos, representam cerca de 13-14%. Nos estágios iniciais do desenvolvimento, os tumores ovarianos malignos ficam completamente curados, enquanto que nos III e IV esse percentual é muito menor.

Tumores ovarianos benignos

As formações são delimitadas dos tecidos vizinhos pela membrana e não ultrapassam seus limites. No entanto, à medida que aumentam, eles são capazes de espremer órgãos adjacentes e romper suas funções fisiológicas e de interposição anatômica.

De acordo com a estrutura histológica, os tumores benignos diferem ligeiramente do tecido ovariano saudável circundante, não o destroem e não são propensos à metástase.

Por isso, em consequência da remoção cirúrgica de um neoplasma benigno, a recuperação cheia ocorre.

Tumores benignos e formação de tumores ovarianos

Sua relevância é devido aos seguintes fatores:

  1. A possibilidade de ocorrência em qualquer período da vida.
  2. Um grande número de casos com uma tendência a um aumento nas taxas de incidência: eles estão no segundo lugar entre todas as neoplasias patológicas dos órgãos genitais femininos. Eles representam cerca de 12% de todas as operações endoscópicas e laparotomias (operações com uma parede abdominal anterior e incisão peritônio) realizadas em departamentos ginecológicos.
  3. Diminuição do potencial reprodutivo feminino.
  4. A falta de sintomas específicos, com relação aos quais há certas dificuldades no diagnóstico precoce.
  5. Com 66,5-90,5% de benignidade destes tumores, existe um alto risco de sua malingização.
  6. A classificação histológica incômoda devido ao fato de os ovários representarem uma das estruturas celulares mais complexas.

Na moderna classificação da Organização Mundial de Saúde de 2002, um grande número de tumores ovarianos benignos é apresentado, dividindo-os em grupos e subgrupos de acordo com diferentes princípios. Os mais comuns em ginecologia prática e cirurgia abdominal são:

  1. Formação de tumor dos ovários.
  2. Tumores superficiais epiteliais-estromais ou epiteliais dos ovários.

Formações tumorais

Estes incluem:

  • Cisto folicularque se desenvolve em um ovário e é mais comum em mulheres jovens. Seu diâmetro é de 2,5 a 10 cm, é móvel, elástico, pode ser localizado acima do útero, atrás ou ao lado dele, não propenso a degeneração maligna. O cisto é manifestado por distúrbios menstruais na forma de menstruação atrasada seguida de sangramento intenso, mas depois de vários ciclos menstruais (3-6) desaparece por conta própria. No entanto, é possível torcer as pernas de um tumor ovariano e, portanto, quando é detectado durante um estudo de ultra-som, é necessário o monitoramento constante com medidas biométricas de ultra-som até que ele desapareça.
  • Cisto do corpo amarelo. À palpação (palpação manual) do abdome, assemelha-se ao anterior. Seu tamanho em diâmetro varia entre 3-6,5 cm.Dependendo das variantes tumorais, uma estrutura homogênea, a presença de septo único ou múltiplos no cisto, estruturas reticulares de malha, coágulos sanguíneos (presumivelmente) pode ser determinada durante a ultra-sonografia. Sintomaticamente, um cisto é caracterizado por atraso na menstruação, falta de sangue no trato genital, ingurgitamento das glândulas mamárias e outros sinais questionáveis ​​de gravidez. Portanto, é necessário realizar um diagnóstico diferencial do cisto do corpo lúteo com gravidez ectópica. Possível ruptura do cisto, especialmente durante a relação sexual.
  • Cisto seroso ou simples. Antes de um exame histológico, muitas vezes é confundido com folicular. A possibilidade de malignidade (malignidade) do cisto seroso é assumida, o que não foi finalmente comprovado. O cisto se desenvolve a partir dos remanescentes do rim embrionário primário e é uma formação móvel densamente elástica com um diâmetro de cerca de 10 cm, mas às vezes, embora muito raramente, pode atingir tamanhos significativos. Um tumor é mais frequentemente detectado como resultado de torcer as pernas ou durante um exame de ultra-som por outro motivo. Ao mesmo tempo, o tecido ovariano é claramente visível ao lado da neoplasia.

Cisto do corpo amarelo

Tumores epiteliais de ovário

Eles representam o grupo mais numeroso, constituindo em média 70% de todas as neoplasias ovarianas e 10-15% dos tumores malignos.

Seu desenvolvimento vem do estroma (base) e do epitélio superficial do ovário.

Os tumores epiteliais são geralmente unilaterais (o caráter bilateral é considerado uma suspeita de malignidade), enquanto a palpação é indolor e móvel de consistência densamente elástica.

Com tamanhos significativos, a compressão de órgãos vizinhos por um tumor ocorre principalmente em adolescentes, e em meninas e mulheres adultas, isso é extremamente raro. Distúrbios das formações epiteliais do ciclo menstrual não causam. Torção do tumor ovariano, hemorragia na cápsula ou sua degeneração e ruptura acompanhada de dor intensa são possíveis.

Tumores de fronteira

Entre as formações epiteliais na classificação, destaca-se um grupo especial de tipo limítrofe: tumores ovarianos serosos, mucinosos (mucosos), endometriais e mistas limítrofes, tumor borderline de Brenner e algumas outras espécies. Cada um dos três primeiros tipos inclui tumores de diferentes tipos, dependendo das estruturas a partir das quais eles se desenvolvem. Após a remoção de formações de fronteira, suas possíveis recaídas.

Como resultado de estudos realizados durante as últimas décadas, foi estabelecido que os tumores limítrofes são formações de baixo grau de malignidade e precursores do primeiro e segundo tipos de tumores ovarianos malignos. Eles são mais comuns em mulheres jovens e são diagnosticados principalmente nos estágios iniciais.

Morfologicamente, os tumores do tipo borderline são caracterizados pela presença de alguns sinais de crescimento maligno: proliferação do epitélio, distribuição na cavidade abdominal e lesão epiploica, aumento do número de divisões do núcleo celular e atipia destes.

O método de tomografia computadorizada por ultrassonografia é bastante informativo no diagnóstico de tumores limítrofes. Os critérios são a formação de formações unilaterais densas multicamadas únicas, às vezes - com áreas de necrose (necrose).

No caso dos tumores serosos limítrofes, ao contrário, em 40% dos pacientes é bilateral, os ovários têm aparência de formações císticas com estruturas papilares sem áreas de necrose dentro do tumor.

Outra característica dos tumores serosos é a possibilidade de sua recidiva muitos anos após o tratamento cirúrgico - mesmo após 20 anos.

A infertilidade entre mulheres com tumores limítrofes ocorre em 30 a 35% dos casos.

Independentemente de ser uma neoplasia benigna ou maligna, suas manifestações subjetivas precoces são inespecíficas e podem ser as mesmas para quaisquer tumores:

  1. Pequenas sensações dolorosas, que geralmente são caracterizadas por pacientes como dor "puxada" fraca no abdome inferior, em sua maioria de natureza unilateral.
  2. Sensação de peso no baixo ventre.
  3. A dor da localização incerta em várias partes da cavidade abdominal de natureza permanente ou periódica.
  4. Infertilidade
  5. Às vezes (25%) há uma violação do ciclo menstrual.
  6. Distúrbios de disúria na forma de vontade freqüente de urinar.
  7. O aumento do volume do abdômen devido à flatulência, função intestinal prejudicada, manifestada por constipação ou o desejo freqüente de defecação ineficaz.

À medida que o tamanho do tumor aumenta, a gravidade de qualquer um desses sintomas aumenta. Os dois últimos sintomas são bastante raros, mas a manifestação mais precoce até mesmo de um pequeno tumor.

Infelizmente, muitas vezes pelos próprios pacientes e até pelos médicos, esses sinais não recebem a devida importância.

Eles são causados ​​pela localização do tumor na frente ou atrás do útero e irritação dos órgãos correspondentes - a bexiga ou o intestino.

Além disso, alguns tipos de cistos que se desenvolveram a partir de células germinais, genitais ou, menos comumente, semelhantes à gordura, são capazes de produzir hormônios, que podem manifestar sintomas como:

  • falta de menstruação por vários ciclos
  • aumento do clitóris, diminuição das glândulas mamárias e espessura do tecido subcutâneo,
  • desenvolvimento de acne,
  • crescimento excessivo de pêlos no corpo, calvície, voz baixa e áspera,
  • desenvolvimento de síndrome de Itsenko-Cushing (com a substância segreda de hormônios de glucocorticoid de tumores ovarianos que emanam de jaulas gordurosas).

Estes sintomas podem aparecer em qualquer idade e até durante a gravidez.

O desenvolvimento de metástases nos últimos estágios do câncer leva a um derrame abdominal, fraqueza, anemia, falta de ar, sintomas de obstrução intestinal e outros. Muitas vezes, os sintomas dos tumores serosos limítrofes diferem pouco dos sintomas de metástase do câncer de ovário.

Sintomas de torcer as pernas do tumor

A torção das pernas de um tumor ovariano pode ser completa ou parcial, ocorrendo tanto em tumores benignos como limítrofes e malignos.A estrutura da perna cirúrgica (em oposição à anatômica) inclui vasos, nervos, tuba uterina, peritônio, um largo ligamento do útero. Portanto, há sintomas de desnutrição do tumor e as estruturas correspondentes:

  • súbita e severa dor unilateral no baixo-ventre, que pode gradualmente diminuir e se tornar permanente,
  • náuseas, vômitos,
  • distensão abdominal e atraso do ato de uma defecação, menos muitas vezes - fenômenos dysuric,
  • palidez, suor pegajoso frio
  • aumento na temperatura corporal e aumento na taxa de pulso.

Todos esses sintomas, exceto o primeiro, não são permanentes e característicos. Com torção parcial, sua gravidade é muito menor, eles podem até desaparecer completamente (se a torção for eliminada independentemente) ou recorrer.

Tratamento do Tumor Ovariano

O resultado do diagnóstico de tumores ovarianos benignos com diâmetro superior a 6 cm ou com duração superior a seis meses, assim como qualquer formação maligna, é o tratamento cirúrgico.

A quantidade de cirurgia depende do tipo e tipo de tumor. Com maligno - extirpação do útero com apêndices e ressecção parcial do grande omento por laparotomia é realizada.

Na presença de um tumor benigno, o tipo histológico do tumor, a idade da mulher, suas possibilidades reprodutivas e sexuais são levados em consideração.

Hoje em dia, cada vez mais frequentemente, uma operação para remover um tumor ovariano é realizada por um método laparoscópico, o que torna possível proporcionar ao paciente as condições para manter a alta qualidade de vida e um rápido retorno à vida familiar e social habitual.

Se você identificar tumores benignos no período reprodutivo, o volume de operação é mínimo - ressecção (remoção parcial) do ovário ou anexexectomia unilateral (remoção do ovário e trompa de Falópio).

No caso de tumores limítrofes nos períodos peri e pós-menopausa, o volume da cirurgia é o mesmo de um tumor maligno, mas na idade reprodutiva é possível apenas a anexectomia, seguida por uma biópsia setorial do segundo ovário e sujeita a acompanhamento constante por um ginecologista.

Formações tumorais (cistos de retenção) podem às vezes ser removidas por ressecção setorial do ovário ou por esfoliação do cisto. A torção das pernas do cisto é uma indicação direta para a cirurgia de emergência na quantidade de adnexectomia.

Exames médicos regulares da clínica pré-natal e ultrassonografia na maioria dos casos permitem o diagnóstico oportuno, o tratamento de tumores ovarianos, a prevenção do desenvolvimento de tumores malignos e sua metástase.

Educação sobre o ovário em mulheres do lado direito ou esquerdo, tipos de tumores e características do seu desenvolvimento

Tumores e formações tumorais dos ovários são patologias que ocorrem na prática médica com grande frequência. De acordo com estudos, tumores e neoplasmas dos ovários semelhantes a tumores na última década são diagnosticados até 25% mais frequentemente. A maioria deles é benigna, no entanto, o número de mulheres com tumores malignos aumenta anualmente.

Um cisto comum é mais comumente diagnosticado, o que, se houver atraso no tratamento, tende a se transformar em um corpo canceroso. Por causa da estrutura histológica e anatômica dos anexos, eles estão mais sujeitos ao aparecimento de várias formações. As causas de tais mudanças patológicas hoje não são totalmente compreendidas, portanto discordâncias entre os cientistas sobre esta questão continuam a existir.

Etiologia da doença

Formações tumorais do ovário podem aparecer de diferentes fontes.

Eles são formados devido ao crescimento patológico do epitélio dos apêndices, perturbações no desenvolvimento do óvulo em um ou outro estágio de maturação, distúrbios na formação de tecidos tecnológicos, células granulosas e infiltrativas, tecidos conjuntivos não específicos, nervos, vasos e outros elementos dos apêndices.

Tumores e formações semelhantes a tumores aparecem em mulheres de todas as idades, no entanto, pacientes de 30 a 60 anos são mais suscetíveis à doença. Em cinquenta por cento dos casos, é encontrado em mulheres pós-menopáusicas. Seja um cisto ou outro tipo de educação, seu desenvolvimento começa muito antes do diagnóstico.

No grupo de risco, há uma lista de pacientes com início precoce ou tardio da menstruação, início tardio da menopausa e ciclo menstrual alterado. A formação volumétrica do ovário esquerdo, assim como a direita, pode levar a uma diminuição das funções reprodutivas, à incapacidade de conceber e gerar um filho.

Complicar a situação pode doenças crônicas dos órgãos pélvicos. Nos últimos anos, os cientistas têm dado especial atenção ao estudo de fatores genéticos e epidemiológicos que afetam a formação da formação do ovário.

De acordo com os dados obtidos, os hábitos e estilo de vida de uma mulher, o ambiente, a qualidade dos alimentos e da água têm um impacto significativo sobre esta patologia.

Tipos de neoplasias

Muitas vezes, os processos patológicos nos anexos - um cisto de um tipo ou outro. No entanto, se um nódulo é detectado no ovário, mas não um cisto comum, pode ser uma ampla gama de diferentes doenças. Eles geralmente são divididos em vários grupos que unem patologias de natureza benigna, maligna ou limítrofe. Existem esses tipos de tumores nos apêndices:

  • tumores estromais da fita genital,
  • neoplasias epiteliais
  • germinogênico
  • raramente formando tumores
  • processos tumorais.

Segundo as estatísticas, mais frequentemente em pacientes ocorrem:

  1. Patologia tumoral do estroma e do epitélio superficial. Estes incluem cistoadenomas serosos, papilares e papilares serosos simples, bem como cistoadenomas mucinosos (cistoadenomas pseudomucinosos) e neoplasmas do endométrio (tumor de Brennen e carcinoma).
  2. Neoplasias estromais e tumores da genitália. Esta categoria inclui patologias granuloestelulares, como doenças das células da granulosa, fibromas e tekomias, bem como androblastomas.
  3. Neoplasias do tipo germe, como os teratomas.

Esta é apenas uma pequena lista de patologias tumorais que são encontradas na prática ginecológica moderna. Cada uma dessas espécies pode ser benigna ou maligna. Há também estágios limítrofes da doença, quando o corpo patológico que se formou se distingue pela sua potencialmente baixa malignidade.

Recomendamos saber: O que é fibroma ovariano

Neoplasias benignas

Na maioria das vezes, a formação de ovário é de natureza benigna e é caracterizada pelo crescimento celular. A maior porcentagem cai sobre as neoplasias epiteliais no ovário. Tais patologias são também chamadas de cistoadenomas ou cistoma. Eles são formados devido à proliferação da casca externa dos apêndices. Estes incluem os seguintes tipos de cystadena:

  • mucinoso,
  • papilar
  • endometrioide,
  • serosa.

Cisto e cistoma são patologias frequentemente confundidas.

Tais formações fluidas muitas vezes prosseguem assintomática, contudo, alguns dos seus tipos tornam-se a causa de dores de puxão constantes no estômago inferior e um aumento na cavidade abdominal.

Tais sensações causam-se pelo cystadenoma mucinoso da estrutura sólida. A cavidade de tal tumor rapidamente se enche da substância mucosa espessa e consegue um grande tamanho.

Por favor note: O tumor benigno também inclui um tumor oogênico, que é formado a partir de oócitos. A neoplasia mais complexa desse tipo é considerada o teratoma, que é formado a partir do óvulo, contendo o material genético. Sua parte interna pode ser preenchida com tecidos maduros e até órgãos rudimentares, incluindo pêlos, tecidos adiposos, rudimentos de ossos e dentes. Não é uma formação muito grande do ovário, mas de ambos os lados é formada muito raramente.

Outra patologia benigna comum dos apêndices é a tecnologia. É formado a partir de células que produzem estrogênios, e na maioria das vezes aparece no período pós-menopausa.

Embora o tekoma, devido à produção de hormônios femininos, aumente a libido, melhore a aparência e o bem-estar das mulheres durante a menopausa, deve ser eliminado a tempo.

Caso contrário, hiperplasia e até câncer endometrial podem se desenvolver.

Os tumores virulentos também são benignos. Eles são formados a partir de elementos dos apêndices, que são semelhantes em composição às células das gônadas dos homens. Como resultado, o ovário direito ou esquerdo, é representado por uma estrutura sólida. Uma mulher com patologia é confrontada com processos de virilização, incluindo parada menstrual, atrofia mamária, aumento do clitóris e outras alterações do tipo masculino.

Os tumores de Brenner são raros. Tais estruturas são pequenas, por isso são muito difíceis de detectar usando o ultra-som. Na maioria dos casos, eles são diagnosticados durante a cirurgia, cuja finalidade é o exame histológico dos tecidos dos anexos.

Um cisto benigno também se aplica. Como regra geral, não requer tratamento, no entanto, se uma neoplasia ovariana sólida for detectada, terapia médica ou tratamento cirúrgico pode ser necessário. Doenças raras também incluem fibroma ovariano, que é formado a partir de tecidos conjuntivos.

Por sua natureza, é um tato hormonalmente inativo. Na maioria das vezes, esses miomas são encontrados na menopausa. Eles são sólidos em tamanho e podem crescer até 15 centímetros. Esta patologia é acompanhada por violações do ciclo e função gerativa.

No mesmo apêndice, miomas e cistos podem se desenvolver.

É importante! Praticamente qualquer tipo de neoplasia benigna no ovário pode eventualmente evoluir para um tumor maligno. Portanto, recomenda-se a realização de exames regulares por um ginecologista e monitorar cuidadosamente o desenvolvimento de qualquer fenômeno patológico nos apêndices. Recomendamos saber: Como o cisto ovariano de retenção se desenvolve?

Métodos diagnósticos

Ambas as estruturas benignas e malignas nos apêndices geralmente prosseguem sem quaisquer sintomas. A fim de evitar complicações ou a formação de tumores cancerígenos, recomenda-se a visita de um médico pelo menos uma vez por ano.

Se você encontrar tumores ou sensações desagradáveis ​​no baixo-ventre, falhas no ciclo menstrual ou o surgimento de outras queixas, é necessário fazer exames ginecológicos uma vez por um período designado por um especialista.

Na maioria dos casos, para o diagnóstico de processos tumorais nos ovários é suficiente o diagnóstico por ultrassonografia. Formações com estruturas diferentes têm ecogenicidade diferente. Existem estruturas anecoicas ou hiperecogênicas.

Isso pode ser um cisto normal ou um crescimento perigoso que requer tratamento. Se o médico duvidar da natureza do tumor, são agendados estudos adicionais.

Se necessário, o paciente recebe ressonância magnética ou tomografia computadorizada. Tais métodos fornecem uma oportunidade para determinar com mais precisão a natureza da educação no ovário, fazer um diagnóstico e determinar a quantidade necessária de tratamento cirúrgico.

Hoje, métodos modernos de detecção de marcadores que indicam o desenvolvimento de células cancerosas são cada vez mais utilizados.

Esses marcadores permitem não apenas identificar processos malignos existentes, mas também determinar antecipadamente a probabilidade de degeneração tecidual benigna em lesões cancerígenas.

Por favor note: Oncomarkers geralmente dão resultados falsos. Assim, na presença de câncer, seu nível pode ser normal ou, inversamente, ser alto na ausência de um processo neoplásico. Portanto, confiar apenas neste método não deve ser.

Se uma neoplasia é encontrada nos apêndices, é necessário passar por um exame abrangente. Isto permitirá determinar o tipo do processo tumoral atual e sua natureza, bem como selecionar um tratamento adequado e mais eficaz.

Características das formações na região pélvica

Com base no ultra-som, pode-se supor que o paciente tenha uma neoplasia ovárica sólida. Suas características estão listadas abaixo:

  1. Com torção incompleta, o próprio apêndice aparece como um tumor sólido, que é provocado pelo inchaço dos tecidos.
  2. Fibroma se parece com um tumor sólido, que reduziu a condução do som devido ao volume do tecido conjuntivo.
  3. Os cistadenofibromas têm uma estrutura específica, que é causada pela presença de locais com fenômenos de calcificação.
  4. Outras inclusões externas dos ovários são metástases de estruturas oncológicas do trato gastrointestinal, linfomas.

O diagnóstico diferencial das formações é realizado após excisão micro e macroscópica do tumor. Na aparência, eles são divididos em mucinosos e císticos. Os dermoides se destacam.

Características dos tumores

Características de estruturas ovarianas benignas:

  1. Os cistoadenomas são formações de câmara única com paredes finas e um diâmetro de 5 a 20 cm, no interior contêm exsudado amarelado.
  2. Os teratomas císticos têm um tamanho de até 10 cm e são preenchidos com partículas de tecidos do corpo.

Características de neoplasmas malignos:

  1. Cistoadenocarcinomas mucinosos e serosos. No tomograma determinadas áreas sólidas. Isso distingue essas inclusões estranhas das estruturas benignas.
  2. Crescimento papilar, áreas de tecido morto são manifestações de um processo oncológico. Se não houver sinais evidentes de câncer, o diagnóstico é confirmado / refutado com base no exame histológico do material.

Diagnóstico diferencial

Características de tumores:

  1. Quando densas inclusões semelhantes a tumores são detectadas durante o exame ginecológico, às vezes estamos falando de adenocarcinomas indiferenciados.
  2. A formação de ovários, produzindo hormônios sexuais femininos e masculinos (androblastoma), benigno ou pequeno grau de malignidade.

  1. As inclusões sólidas malignas são frequentemente adenocarcinomas metastáticos.
  2. Se um paciente tem ascite, hidrotórax e fibroma benigno, isso é referido como "síndrome de Meigs" (raramente é encontrado).

Mantendo a integridade do ovário, a formação não se manifesta para aumentar o abdômen devido à ascite. Às vezes, no contexto de mudanças no tamanho dos apêndices uterinos, há rupturas do ciclo e da pressão na região pélvica, que é causada pelo envolvimento da bexiga e do reto no processo patológico.

As neoplasias sólidas benignas verdadeiras dos ovários (teratomas de natureza benigna, etc.) não se resolvem espontaneamente. Não há uma decisão inequívoca sobre se eles podem preceder a oncologia (os cientistas ainda não chegaram a uma conclusão comum). Assim, o médico assistente requer atenção aos tumores do apêndice.

Pin
Send
Share
Send
Send