Crianças

Qual é o perigoso colo do útero encurtado durante o início da gravidez e como é corrigido medicamente, de forma rápida e conservadora?

Pin
Send
Share
Send
Send


Muitas vezes, durante a gravidez, quando um colo do útero curto é detectado nas primeiras semanas, o médico pode registrar o paciente para o risco de aborto e prescrever um tratamento específico. Via de regra, um pequeno colo do útero raramente é uma anomalia congênita, muitas vezes uma mudança em seu tamanho é uma conseqüência de uma intervenção agressiva: histeroscopia, aborto, curetagem.

O que é um colo do útero curto

O comprimento do segmento inferior do útero é de grande importância quando se leva uma criança, por isso os ginecologistas prestam especial atenção a esta questão, mesmo quando planejam uma gravidez. O comprimento do colo uterino normal deve ser de 3,5 a 4 cm, se for inferior a 2,5 cm, então o corpo é considerado curto. Durante o parto, o colo do colo do útero deve estar bem fechado, o que não permite que o feto apareça prematuramente. Uma condição em que o órgão é curto e envolve a revelação prematura é chamada de insuficiência istmo-cervical - ele ameaça a gestante com trabalho de parto prematuro.

Um colo do útero encurtado é uma patologia grave que é quase assintomática, ou seja, na maioria dos casos, as meninas nem percebem que há um problema sério. Órgão curto ameaça com complicações, especialmente para mulheres em posição. Apenas um ginecologista é capaz de determinar a presença de um problema durante um exame vaginal, mas um diagnóstico preciso será feito apenas por um especialista que realizou o exame de ultra-som.

Sintomas de encurtamento cervical

Uma mulher por um longo tempo não pode sentir problemas de saúde, porque um pescoço encurtado não se manifesta de forma alguma. Como regra, o ginecologista estabelece o diagnóstico durante o exame ou durante o exame de ultrassonografia. Somente em 20% dos casos, a patologia apresenta sintomas que começam a manifestar-se ativamente no período de 15 semanas. Não é coincidência, porque Neste momento, o feto cresce em tamanho, ganhando peso, enquanto pressiona com mais força o esfíncter muscular da faringe. O colo do útero encurtado durante a gravidez tem os seguintes sinais:

  • secreção mucosa de sangue ou líquido da vagina,
  • ligeira dor abdominal inferior
  • sensação de pressão, rasgando a vagina.

Para quaisquer sintomas adversos, uma mulher deve visitar um médico que ajudará a determinar a causa raiz do problema. É difícil identificar a patologia por conta própria - para este propósito, você precisará de pesquisa direcionada usando ultra-som. Quanto mais cedo o especialista diagnosticar a doença, mais rapidamente as medidas terapêuticas serão tomadas. O tratamento precoce com medicação ajudará a preservar a gravidez.

Causas de encurtamento

Cérvix uterino pequeno - uma patologia perigosa que tem um impacto negativo na gravidez normal. As circunstâncias agravantes de tal condição podem ser uma gravidez múltipla, um feto grande, água alta. A patogênese dos processos determinantes do desenvolvimento dessa doença depende de fatores internos e externos. Causas de encurtamento cervical durante a gravidez pode ser o seguinte:

  • distúrbios hormonais,
  • patologias congênitas da estrutura do útero, que são causadas pela hereditariedade (subdesenvolvimento do canal cervical, infantilismo genital),
  • deformação do corpo
  • hiperandrogenismo (produção excessiva de hormônios sexuais masculinos - andrógenos),
  • displasia do tecido conjuntivo
  • lesões mecânicas de curetas diagnósticas, abortos, cirurgias,
  • ruptura de órgão durante o nascimento passado.

Complicações e conseqüências

Um órgão encurtado na vida normal não causa desconforto, não apresenta sintomas pronunciados. Somente quando uma mulher está esperando uma criança, um ginecologista pode identificar o problema durante um exame médico. As conseqüências da doença são sérias. Isto diz respeito à ameaça de aborto espontâneo ou parto prematuro, porque sob a pressão do bebê, o pescoço começa a abrir e encurtar mais. Para salvar a gravidez, é importante diagnosticar o problema em um estágio inicial, a fim de tomar medidas para eliminá-lo. Além disso, os seguintes efeitos patológicos podem ocorrer:

  • infecção do feto devido à sua vulnerabilidade,
  • parto rápido, acompanhado de rupturas da vagina, períneo,
  • o desenvolvimento de ICN (insuficiência istmico-cervical), esta condição é acompanhada pela incapacidade do útero para manter o feto.

Diagnóstico

A determinação oportuna da patologia ajudará o especialista a encontrar maneiras eficazes de tratá-la. Via de regra, o diagnóstico de um órgão encurtado é realizado a partir da 11ª semana de gestação, quando o paciente é examinado por um ginecologista e registrado. Suspeita de doença é o aparecimento de secreção de sangue aguado e dor abdominal baixa. Ao mesmo tempo, apenas diagnósticos complexos, que incluem:

  • inspeção de espelho (determina o estado da faringe externa),
  • teste de urina dos ketosteróides,
  • tocografia para determinar a presença de contrações e tom do útero,
  • exame digital da vagina (ajuda a avaliar a patência, comprimento e condição do órgão),
  • exame de sangue para anticorpos para hCG
  • procedimento de ultra-som,
  • exame de sangue e esfregaço para a presença de infecções bacterianas (clamídia, gonorreia, micoplasmose),
  • determinação dos níveis hormonais no sangue de uma mulher grávida (testosterona, estrogênio, progesterona),
  • coagulograma,
  • um exame de sangue para os níveis de hormônios tireoidianos,
  • ecografia dinâmica
  • doplerometria do fluxo sanguíneo,
  • ecografia transvaginal
  • cardiomonitoramento (para determinar o estado intra-uterino da criança).

Diagnóstico diferencial

Independentemente estabelecer o diagnóstico é quase impossível. Os sintomas são tão sutis que podem ser facilmente ignorados pelo paciente e pelo médico. É importante realizar um exame abrangente, incluindo palpação e exame ginecológico. O diagnóstico diferencial é utilizado como uma técnica que visa excluir possíveis doenças no paciente e estabelecer um diagnóstico preciso. O sucesso de tal verificação é determinado por um exame abrangente e completo.

A diagnóstica diferencial com a ameaça do trabalho cedo faz-se com doenças dos órgãos abdominais: colite séptica, apendicite agudo, cistite, doenças do aparelho urinário. Uma condição perigosa muitas vezes diferencia-se com pyelonephritis agudo, toksikoinfektion foodborne, cólica renal, a presença de miomas. Para a precisão do diagnóstico pode exigir a ajuda de médicos de outras especialidades.

O colo do útero pode alongar durante a gravidez?

Ao carregar um bebê, o pescoço pode sofrer várias alterações. Procedendo das circunstâncias, é então estendido, depois encurtado. Se o paciente tiver trabalhado duro o dia inteiro, o pescoço será encurtado. Embora depois de um bom descanso pode ser alongado. O principal é visitar o médico a tempo e seguir todas as recomendações dadas pelo ginecologista. Um pescoço curto durante a gravidez é frequentemente corrigido por cirurgia ou por meios conservadores.

Com base na semana da gravidez, o especialista escolhe um método específico de tratamento. As mulheres que têm um comprimento corporal de 30 mm antes da 20ª semana estão em risco, estão sob a supervisão de um ginecologista. Com múltiplos bebês até 28 semanas, 36 mm é considerado a norma e 45 mm para nulíparas. Se o comprimento do pescoço é de 20 mm, a intervenção cirúrgica é necessária. É possível estender o órgão com a ajuda de drogas, mas elas devem ser prescritas apenas por um ginecologista.

Como alongar o colo do útero durante a gravidez

O tratamento de um colo do útero curto requer controle rigoroso por um ginecologista, que determinará os métodos mais eficazes. Se o paciente tiver uma ligeira alteração no comprimento do útero, o especialista pode prescrever o tratamento com medicamentos que visem reduzir o tônus. Por via de regra, com esta finalidade, o paciente mostra-se a administração intravenosa de Magnesia e Ginipral. Terapia hormonal, tratamento cirúrgico e conservador podem ser prescritos para gestantes com NIC. Depende da ameaça de interrupção e da duração da gravidez.

Tratamento conservador

Se durante o exame o médico encontrou amolecimento e hipertonicidade do útero, ele pode prescrever medicação. A recomendação mais importante para um paciente com pescoço curto é limitar qualquer esforço físico. Se o aparecimento da doença de IC for causado por falta de hormônios, então um especialista pode prescrever o uso de agentes como Duphaston, Turinal, Microfollin, Dexametasona. Se o paciente estiver ameaçado de parto prematuro, o médico sugerirá que a mulher grávida tenha pontos. Além disso, como métodos adicionais de tratamento podem ser:

  • Homeopatia O médico pode prescrever medicamentos auxiliares Enxofre, Cálcio Carbonicum, Silicea.
  • Tratamentos de ervas. Caldos de calêndula, viburnum, erva de São João, camomila têm um efeito tônico no corpo da mulher. Esta terapia deve estar sob a supervisão de um médico.
  • Bandagem Com esta ferramenta, você pode garantir a localização correta do feto e evitar sua queda precoce.
  • Anel ginecológico ou pessário obstétrico. É aplicado por um período de 25 semanas ou mais, quando uma mulher grávida não pode usar costura para evitar a infecção do feto.

Tratamento Utrozhestan

Uma falha hormonal durante a gravidez pode provocar o aparecimento de insuficiência cervical, que afeta negativamente a saúde da mãe e do bebê. O médico neste estado pode prescrever medicação, cuja ação visa reduzir a atividade do útero. O mais popular é Utrozhestan, está disponível sob a forma de supositórios vaginais e cápsulas.

A dosagem do medicamento é selecionada individualmente, com base nos sintomas e na gravidade da ameaça de interrupção. Normalmente, a dose é de 200 ou 400 mg a cada 12 horas. Quando uma droga vaginal é tomada, ela é absorvida mais rapidamente e é mais bem tolerada pelo organismo. Progesterona natural Utrozhestan é contra-indicado para as veias varicosas e doenças do fígado.

Intervenção cirúrgica

O tratamento cirúrgico é melhor realizado da 13ª a 27ª semana. Para prevenir a infecção, é melhor intervir da 7ª à 13ª semana. Indicações para a cirurgia pode ser parto prematuro, aborto, a rápida progressão da patologia. Além disso, ao abrir a garganta, também há necessidade de pontos. A cirurgia é realizada de várias maneiras:

  • estreitamento do colo do útero, fortalecendo os músculos ao longo das paredes laterais do corpo,
  • costurando a garganta externa,
  • estreitamento mecânico da garganta interna do útero.

Muitas vezes, com o pescoço encurtado, é feita uma cerclagem - uma operação para aplicar suturas temporárias. Realizada antes da 28ª semana de gravidez. O procedimento ajuda a prevenir a abertura prematura do útero. Como regra geral, suportes e pontos são removidos quando o líquido amniótico é descarregado. Contra-indicações uso da operação:

  • doença genética, mental,
  • rim, coração, fígado,
  • malformações da criança,
  • sangramento durante a gravidez
  • hiperexcitabilidade.

Colo do útero curto durante o parto

Se uma mulher conseguiu suportar o feto durante a insuficiência cervical e o parto foi concluído a tempo, isso não significa que as complicações foram evitadas. Pescoço curto é refletido no decurso de todo o período de entrega. Muitas vezes, o parto passa rapidamente ou rapidamente. Uma mulher que está se preparando para se tornar mãe pela primeira vez pode dar à luz em 4 horas e multípara em apenas 2. Uma entrega tão rápida é perigosa com complicações, lesões e rupturas. Portanto, a patologia requer tratamento oportuno.

Prevenção

Para evitar o aparecimento de tal patologia como um colo do útero encurtado, é necessário observar um número de recomendações preventivas e regras:

  • o uso de contraceptivos confiáveis ​​para proteger contra gravidez não planejada,
  • visitas regulares ao ginecologista,
  • manter um estilo de vida sexual saudável
  • planejamento adequado da gravidez
  • monitoramento constante da saúde
  • para doenças crônicas, a colposcopia é necessária.

Cérvix curto durante a gravidez - existe uma solução confiável

O fato de que o colo do útero não é de comprimento suficiente, não tem conhecimento da maioria das mulheres. Esta patologia grave tem um impacto na saúde das mulheres. Seus sintomas são especialmente perigosos no período de carregar um bebê. O diagnóstico é conhecido diretamente durante a gravidez. Para este fim, uma série de estudos usando ultra-som e equipamentos médicos.

Qual deve ser o comprimento do colo do útero durante a gravidez

Ao longo da gestação, ocorrem desvios no comprimento, consistência do colo uterino e também a abertura das alterações da faringe. Nos estágios iniciais, o comprimento não deve ser menor que 35-40 mm (12-37 semanas). Encurtamento do colo do útero Apenas até à 38ª semana de gestação do feto, o colo do útero deve ser encurtado - isto é considerado normal. Uma mudança significativa no comprimento ocorre pouco antes do início do trabalho de parto - até 15 - 10 mm.

Durante este período, o colo do útero ocupa uma posição central na pélvis. Se houve um encurtamento do colo do útero dentro de 30 mm, então deve ser dada atenção especial. Uma mulher cujo comprimento diminuiu para 15-20 mm é melhor sob observação constante no hospital.

Se o colo do útero é curto, é perigoso?

Se tal diagnóstico é feito, então suas consequências são muito sérias - uma mulher tem um risco de 50% de parto nas próximas 2 semanas. A ameaça de aborto, parto prematuro provocou pescoço encurtado. Neste estado, pode não desempenhar uma função importante - manter o útero junto com o feto em constante crescimento.

A infecção de um feto como resultado da falta de proteção total é uma grande ameaça. Uma mulher grávida está sob o risco de um rápido desenvolvimento do parto. O resultado de que muitas vezes se torna rupturas da vagina, colo do útero, períneo. Diagnosticar o problema em um estágio inicial da gravidez permite determinar corretamente o método de tratamento da patologia.

Causas de encurtamento

As razões pelas quais o colo uterino sofre uma diminuição são diferentes. Muitas vezes, existem os seguintes fatores:

  1. Anormalidade natural da estrutura do útero (canal cervical subdesenvolvido, defeitos decorrentes do desenvolvimento do útero, a presença de infantilismo genital).
  2. Hiperandrogenismo (a presença de quantidades excessivas de andrógenos - hormônios sexuais, característicos de homens).
  3. Os distúrbios hormonais que ocorreram durante a gravidez (sem sintomas). Danos resultantes do parto anterior.
  4. Lesões que ocorreram durante intervenções cirúrgicas, abortos.
  5. Patologia do órgão causada por displasia do tecido conjuntivo.

Sintomas no segundo trimestre

Detecção de manifestações patológicas do colo do útero é possível no período do segundo trimestre usando ultra-sonografia ou exame ginecológico. Normalmente, um exame vaginal de mulheres grávidas é raramente realizado, mas com queixas de uma mulher, é necessário.

Ao carregar um feto, a mulher deve ser alertada com sintomas como:

  1. O aparecimento de dor na vagina.
  2. O aparecimento de dor nas cólicas no abdome inferior, na parte inferior das costas.
  3. A presença de secreções incomuns - muco espesso, secreções sanguinolentas e aquosas com um cheiro específico.

A aparência do último (líquido, com um odor característico) indica que o fluxo de líquido amniótico ocorre. O desenvolvimento de tais sintomas observa-se de 22 semanas. Se algum destes sintomas aparecer, deve contactar imediatamente o seu ginecologista.

O que ameaça reduzir o comprimento

Patologia ameaça aborto espontâneo, parto prematuro. Isso se deve à pressão do bebê em crescimento e o pescoço pode se abrir prematuramente. Provoca um enfraquecimento da proteção do feto contra infecções. Se o nascimento surgiu em tempo hábil, então esse estado do órgão provoca um fluxo rápido de eventos. Pode ser acompanhado por rupturas não só do colo do útero, mas também do períneo.

A deformação do colo uterino é um dos sinais da ICN (insuficiência cervical-estética). Nesta condição, existe um risco de falha na gravidez devido a problemas fisiológicos associados à retenção do feto no útero. O pescoço e o istmo estão sob a pressão constante de um bebê em desenvolvimento.

Se estreito e curto

A solução mais adequada seria uma observação sistemática por um ginecologista, se fosse constatado que o comprimento do pescoço estava reduzido. Certifique-se de observar a paz, cuide-se e siga os conselhos de um especialista. É necessário prestar atenção ao tom, que afeta a maturação precoce do pescoço, afeta a redução do seu comprimento, a divulgação.

Cargas físicas são limitadas. Recomenda-se usar uma bandagem. Se esta patologia for detectada, a mulher receberá tratamento corretivo. Táticas escolhidas pelo médico, depende do período, das causas da violação. O erro mais comum que as mulheres cometem é o medo de passar por procedimentos.

Como alongar ou tratar

A partir do quadro clínico e do termo de gestação, o método de tratamento da patologia é escolhido. Pode ser profilático, conservador ou exigir cirurgia. При наличии потребности, проводится корректировка используемого метода.

Se o comprimento crítico do pescoço (30 mm) é fixado na semana 20, então este é um motivo para levar uma mulher ao controle obrigatório. Nesta situação, ela visitará um ginecologista de acordo com um horário especial. Uma cerclagem não cirúrgica é designada para estender o órgão - são usados ​​pessários obstétricos de apoio, que têm desenhos diferentes. O local de sua instalação é o colo do útero.

Se até o final do segundo trimestre o colo do útero se tornar mais curto - até 20 mm, então a intervenção cirúrgica é aplicada. Para esses fins, pode:

  • para fortalecer os músculos das paredes usando o método mecânico,
  • para fechar a garganta externa costurando,
  • estreitar o interior da garganta usando uma opção mecânica.

Você pode usar o método cirúrgico, a partir do primeiro trimestre. Se você identificar problemas em um estágio inicial (semana 7), poderá operar. Uma mulher precisa ficar mais calma, para reduzir sua atividade, talvez para usar o repouso no leito. Medicamentos usados ​​para reduzir o tom do útero.

Cada um desses três métodos ajuda uma mulher grávida a dar à luz um bebê a termo.

O tratamento adequadamente conduzido tem um prognóstico positivo. Isso é facilitado pelo uso de métodos eficazes que visam reduzir o tônus ​​e a retenção confiável do feto na cavidade uterina. Os métodos mais comuns são a instalação de um pessário obstétrico, bem como a sutura.

De grande importância é o início oportuno da terapia e o cumprimento rigoroso de todas as recomendações médicas. A terapia permite eliminar o aparecimento de complicações e prolongar a gravidez. Medidas destinadas a prolongar a gravidez devem ser tomadas a tempo. Isso só é possível na condição de que a mulher necessariamente visite todos os exames necessários. O diagnóstico pode ser feito usando ultra-som, que é realizado em 15-17 semanas.

Encurtamento durante a gravidez cervical é um problema comum. É importante seguir todas as recomendações do doutor - abandonar uma vida excessivamente ativa, usar uma atadura. Se necessário, faça o tratamento. Então, com este diagnóstico, a mulher poderá levar o bebê e parir sozinho. Um bebê completamente saudável nasce.

Causas do colo do útero

Muitas mulheres, especialmente durante a gravidez, têm medo de fazer um diagnóstico de um colo do útero curto, a fim de descobrir a causa dos sintomas que apareceram, eles têm que recorrer a especialistas.

As razões para o desenvolvimento do colo do útero curto são muitas, entre elas podem identificar as mais comuns e mais estudadas:

  • Defeitos do aparelho hereditário, distúrbios surgidos durante o período de desenvolvimento pré-natal e o período de crescimento e puberdade. Isso geralmente se manifesta por anomalias da estrutura, assim como pela insuficiência congênita dos hormônios sexuais femininos que estão envolvidos na formação final do órgão. São patologias tais como várias formas de infantilismo e subdesenvolvimento do canal cervical.
  • Desequilíbrio hormonal. Geralmente ocorre já no período da gravidez, o que pode se manifestar como uma ameaça de aborto espontâneo. Na maioria dos casos, será assintomática e o diagnóstico é feito para uma mulher somente após um exame de ultrassonografia. A este grupo pode ser atribuído, e uma superabundância de hormônios sexuais masculinos, andrógenos. Existem muitos fatores que provocam o aumento da produção.
  • Efeitos traumáticos no colo do útero, mais freqüentemente mecânicos. Estes incluem extensa cirurgia no colo do útero, curetagem diagnóstica e aborto.
  • Displasia do tecido conjuntivo. Neste caso, um nível aumentado de relaxina será observado.

Consequências de um colo do útero curto durante a gravidez

  • Cérvix curto e, como resultado, insuficiência isthmic-cervical, estas são condições que provocam o desenvolvimento do nascimento prematuro, bem como a ameaça de aborto e aborto espontâneo.
  • Se houver vazamento de líquido amniótico, há risco de infecção do líquido amniótico e do feto. Além disso, a placenta pode ocorrer. Nos estágios iniciais da gravidez, um colo uterino geralmente curto, não diagnosticado e não controlado leva à infecção do feto, ao desenvolvimento de aborto congênito ou infertilidade.
  • Em períodos posteriores, é o desenvolvimento do trabalho de parto prematuro. Resultado favorável depende do prazo de entrega. Com um curto período de tempo, esse é um alto risco para o nascimento de um feto inviável.

O que fazer com um colo do útero curto?

Ações para um colo do útero curto:

  • Em 20 semanas. Neste período, o risco de desenvolver um feto não viável é muito alto. Até 21 semanas, a perda de uma criança é considerada um aborto espontâneo. Mas, já nesse período, o crescimento ativo e o ganho de massa começam, portanto, um pescoço curto representa uma ameaça maior. Para eliminá-lo, a questão da cirurgia em conjunto com a terapia hormonal é resolvida.
  • Em 30 semanas. Neste momento, uma mulher geralmente sai em licença de maternidade e sua atividade física diminui e o estado pode ser monitorado. O feto se torna viável, mas, no entanto, no caso de uma ameaça se desenvolver, a terapia conservadora é realizada para prolongar a gravidez.
  • Em 32 semanas. Este é o período da última triagem, quando há uma medida final do colo do útero. O tratamento e o tratamento permanecerão os mesmos de antes. Após a preparação preliminar, a criança nasce plenamente e todos os seus sistemas serão formados. Além disso, a questão da remoção de pontos é resolvida e a entrega é possível dependendo da situação clínica.

Tom aumentado

Esta é uma condição patológica que é caracterizada pela excitação excessiva das fibras musculares em resposta à ação dos fatores provocadores. Além disso, aumenta o risco de desenvolver uma condição com risco de vida.

Portanto, uma mulher no diagnóstico de tom alto e colo do útero curto durante a gravidez requer uma prescrição de tratamento e possível hospitalização.

O tratamento do colo do útero curto com métodos médicos é atualmente bastante comum. Em alguns casos, é bastante eficaz e ajuda a evitar intervenções cirúrgicas. O tratamento para essa patologia é longo e requer uso regular.

Tratamento medicamentoso

  • Utrozhestan. É usado principalmente para encurtar o colo do útero causado por desequilíbrio hormonal, bem como sua insuficiência. Como resultado, uma redução nos elementos contráteis no pescoço é formada. Principalmente é deficiência de progesterona. Existem várias formas de dosagem de Utrozhestan, estas são cápsulas e supositórios vaginais. A dosagem e a escolha da via de administração dependerão de quais sintomas estão presentes, bem como do grau de sua manifestação. A dose média será de 200-400 mg, se administrada duas vezes por dia. Ao detectar varizes, bem como doenças do fígado, o medicamento não é recomendado para ser usado. O ingrediente ativo é completamente idêntico ao hormônio natural progesterona. Portanto, com a devida nomeação e uso regular de quaisquer contra-indicações não ocorre. A vantagem da administração intravaginal é um efeito mais rápido e mais local. Pode nomear-se do mesmo começo da diagnóstica, e a introdução continua até as 34 semanas da gravidez. Ou seja Ele é capaz de proteger a gravidez de uma mulher até tarde.
  • Duphaston. Este é outro análogo da progesterona natural. É produzido na forma de comprimidos para uso sistêmico. A droga é hoje amplamente utilizada na prática ginecológica e obstétrica. Quando tomada, há um baixo risco de efeitos colaterais. A eficiência depende em grande parte do tempo do início da recepção, por isso, quando usado nos estágios iniciais de desenvolvimento de encurtamento, bem como baixa gravidez, a probabilidade de um efeito positivo é alta. O curso do tratamento será selecionado com base na condição patológica.
    Pode ser prescrito no modo de pulsoterapia com o desenvolvimento de uma ameaça aguda, bem como um complexo de suporte. A dose média será de 10 mg quando tomada duas vezes. A terapêutica com Duphaston continua durante a gravidez até às 22 semanas.
  • O sulfato de magnésio é uma droga comum e barata para o tratamento do colo do útero curto. O principal objetivo de sua eliminação devido ao tratamento com magnésia é reduzir o tônus ​​e, como resultado, ocorre diminuição do tônus ​​muscular e diminuição da pressão nas paredes dos vasos sanguíneos. Há uma diminuição na pressão sanguínea e remoção da quantidade patologicamente formada de fluido. A eficácia só ocorrerá após a via intravenosa ou intramuscular de administração. A limitação na admissão é o primeiro trimestre e o trabalho imediatamente anterior. Duas vezes a introdução de uma solução de 25%.
  • Ginipral é uma droga pertencente à classe dos tocolíticos seletivos. Eficaz no desenvolvimento da ameaça de trabalho de parto prematuro, ajuda a eliminar o aumento do tônus ​​da parede uterina, sem interferir com a passagem de oxigênio através da placenta para o feto.
    Pode ser prescrito somente após o início de 16 semanas de gravidez, dependendo da gravidade dos sintomas, o curso mais ideal é selecionado. Você não pode cancelar Ginipral simultaneamente.

Ginipral Utrozhestan Sulfato De Magnésio Duphaston

Outros tratamentos:

  • Bandagem Este é um método físico e não farmacológico de preservar a gravidez, que é necessário para reduzir o tônus ​​muscular, bem como reduzir a pressão sobre o patologicamente alterado ou propenso ao desenvolvimento de encurtamento cervical. É feito de materiais têxteis elasticamente, que garantem a retenção confiável do órgão com a fruta. Grande importância é atribuída ao seu uso adequado, como em alguns casos, a compressão do órgão e partes do feto pode ocorrer. Proporciona preservação a longo prazo fora da cavidade pélvica, impedindo o abaixamento, bem como a formação correta da posição. Além disso, a intensidade das estrias e o aumento da tolerância ao exercício são reduzidos. Para começar a usar a bandagem deve ser a partir de 18 semanas de gravidez, quando haverá um aumento na massa do feto. Deve ser vestido apenas em decúbito dorsal, antes de sair da cama.
  • Pessário Obstétrico. Este é um anel vaginal que impede a dilatação prematura do colo do útero. Pode ser inserido a partir de um período obstétrico de 25 semanas, especialmente nos casos em que a costura é ineficaz ou contraindicada. Especialmente nos casos em que há probabilidade de lesão nas membranas. O pessário é tratado e removido regularmente de 37 a 38 semanas.

Pessário obstétrico Bandage for pregnant women

Tratamento cirúrgico

O tratamento cirúrgico é um dos métodos necessários de tratamento do colo do útero curto, bem como outros fatores para o desenvolvimento da ameaça de parto prematuro. Uma das nomeações é o progresso pronunciado desta patologia.

Durante o tratamento cirúrgico, os seguintes efeitos são alcançados:

  • O início da constrição mecânica no campo da garganta interna.
  • Eliminação completa de seu lúmen.
  • Fortalecer os músculos do assoalho pélvico e das paredes laterais, estreitando o colo do útero.

Além disso, indicações na conduta da sutura são casos de abortos habituais ou defeitos anatômicos no órgão. Bem como uma mudança progressiva na sua estrutura.

A intervenção cirúrgica é realizada no período de 13 a 27 semanas. Posteriormente, pode ser perigoso devido à alta incidência de complicações. Se houver risco de infecção do feto, a sutura é realizada a partir de 7 semanas.

Você não pode realizar este procedimento para aumento da excitabilidade da parede uterina, doenças de órgãos internos, natureza mental e genética, o desenvolvimento de sangramento e a identificação de malformação fetal.

Previsão de Nascimento

Na maioria dos casos, será ambíguo, isto é devido a muitos fatores. Principalmente sobre o tipo de patologia, sua gravidade, bem como a taxa de progressão.

Além disso, o prognóstico dependerá do efeito do tratamento escolhido e da abordagem da mulher à terapia e à qualidade de vida.

No caso de um efeito positivo da terapia e do diagnóstico oportuno da condição, é possível levar a mulher ao ponto em que o nascimento se torna oportuno. No entanto, há um alto risco de parto antes do tempo. Neste caso, grande importância está ligada à prevenção preliminar da síndrome do desconforto respiratório no feto.

Medidas preventivas

A prevenção do encurtamento do colo do útero é uma questão particularmente urgente, pois na maioria dos casos, ao eliminar tais erros, é possível obter uma redução significativa no número de mulheres que enfrentam um quadro semelhante.

A desvantagem da maioria das drogas são os efeitos colaterais. Muitas vezes, as drogas causam intoxicação grave, causando subsequentemente complicações nos rins e no fígado. Para evitar os efeitos colaterais dessas drogas, queremos prestar atenção aos fito-ampenos especiais. Leia mais aqui.

  • As mulheres que planejam uma gravidez devem limitar o número de contatos sexuais sem o uso de equipamentos de proteção, pois, para relações sexuais desprotegidas, as infecções sexualmente transmissíveis devem ser regularmente examinadas em busca de infecções. Em caso de detecção de uma tal doença, é necessário um tratamento atempado e completo, com monitorização subsequente da condição.
  • Além disso, com processos inflamatórios persistentes ou frequentemente recorrentes na vagina, que podem estar associados a patógenos inespecíficos, deve-se realizar um diagnóstico e tratamento mais completos, realizados com medidas regulares anti-recidivas.
  • Evite intervenções intrauterinas prolongadas. Estes incluem, em primeiro lugar, o aborto com penetração na cavidade uterina, bem como a curetagem para fins de diagnóstico, incluindo o canal cervical. Para fazer isso, você precisa usar métodos confiáveis ​​de contracepção, evitando abortos posteriores e suas complicações.
  • Evite doenças cervicais, como erosão e displasia, bem como cervicite. Na identificação de tais patologias, aplicar tratamento conservador oportuno.
  • Um processo subtratado ou um procedimento cirúrgico anterior pode danificar as células e prejudicar sua arquitetura e funcionalidade.
  • Monitore a regularidade do ciclo menstrual, assim como o estado do complexo hormonal. Se um desequilíbrio é detectado, o tratamento imediato é necessário.
  • Visite constantemente o obstetra-ginecologista para o diagnóstico e tratamento oportunos das doenças identificadas.

Sintomas de um colo do útero curto

O encurtamento do colo do útero leva ao desenvolvimento de ICN - insuficiência istmo-cervical. Esta condição leva ao fato de que o feto não pode ser mantido no útero. O canal cervical é revelado, o que provoca um aborto espontâneo ou início precoce do trabalho de parto ou um processo acelerado de parto. Além disso, essa característica da estrutura reduz o grau de proteção do feto contra patógenos, porque a função de barreira é prejudicada.

Na maioria das vezes, a gestante não sabe sobre o encurtamento do colo do útero, já que a patologia não apresenta sintomas pronunciados. O diagnóstico é feito durante o exame e exame adicional, incluindo ultrassonografia e cervicometria. Mas em 20% das situações clínicas, aparecem sinais que indicam um problema. Sua lista inclui:

  • descarga de natureza aquosa ou sanguinolenta,
  • ligeira dor no baixo ventre.

É importante! A presença de tais sintomas é um sinal urgente para um apelo imediato a um especialista! A detecção precoce de um problema aumenta a eficácia das medidas corretivas.

Primeiros sinais

Os primeiros sintomas que aparecem quando um colo curto amolece ou começa a abrir um pescoço curto são dor na vagina de uma natureza penetrante, à qual a síndrome da dor de cólica é freqüentemente conectada na região lombar e na parte inferior do abdômen. Além disso, pode haver uma descarga de natureza sanguinolenta, sinalizando a ameaça de aborto espontâneo ou início precoce do processo de entrega.

A determinação independente da patologia é impossível, desde técnicas instrumentais e exame médico são necessários para fazer este diagnóstico.

Colo muito curto

O encurtamento do colo do útero não pode causar desconforto à mulher, mas esta situação é patológica porque o canal cervical curto não fixa adequadamente o estado fechado do útero. Por esse motivo, ao identificar um problema, a mulher deve ser regularmente monitorada por especialistas para monitorar a condição.

O comprimento muito curto do colo do útero (menos de dois centímetros) é extremamente perigoso porque provoca aborto espontâneo ou parto rápido. Para correção do ICN, são prescritos medicamentos glicocorticoides à mulher e, se necessário, pontos temporários são colocados no útero. Outro método de correção é a imposição de um pessário. O exercício também deve ser limitado.

Todas as drogas são tomadas somente após a nomeação por um especialista.

Diagnóstico instrumental

A lista de métodos necessários de diagnósticos instrumentais inclui:

  • ultrassonografia transvaginal,
  • токография, которая реализуется с целью выявления тонуса матки и схваток,
  • динамическая эхография, которая важна в случае угрозы невынашивания,
  • Fluxo sanguíneo Doppler (útero-placentário e fetal),
  • cardiomonitoramento.

Encurtamento cervical durante a gravidez

O encurtamento do colo do útero é uma condição perigosa, que requer observação dinâmica rigorosa e ação oportuna quando a correção é necessária. O curto comprimento do canal sem gestação não representa uma ameaça para a mulher, mas durante a gestação do feto pode ser um provocador de sérios problemas de saúde tanto para a mãe quanto para a criança.

O que pode causar um colo do útero curto durante a gravidez?

Esta condição patológica nos estágios iniciais cria uma ameaça de aborto espontâneo e aborto espontâneo, e nos estágios posteriores - o rápido curso do parto ou seu início prematuro. O colo do útero cortado não é capaz de segurar o útero com um bebê em crescimento. Além disso, devido ao pequeno comprimento do canal cervical, a função de barreira se deteriora e o risco de infecção intra-uterina da criança aumenta.

Para evitar problemas no processo de transporte é necessário visitar regularmente um médico. Atualmente, existem maneiras eficazes de corrigir o IC e evitar os efeitos negativos dessa condição.

Parto e colo do útero curto

No caso de dinâmicas negativas, o monitoramento de uma mulher com ICN requer hospitalização. Sob a direção negativa da dinâmica refere-se a uma diminuição acentuada no comprimento e no alisamento do colo do útero. Além disso, a hospitalização é apropriada se a mulher tiver um histórico de parto prematuro. Na admissão no hospital, as manifestações de trabalho de parto prematuro são eliminadas e o paciente é transferido para o departamento de patologia para tratamento subsequente.

Se, pela possibilidade de carregar uma mulher, os pontos foram aplicados, então antes do parto o médico os remove. Como com um canal cervical curto há um alto risco de parto rápido, a mulher deve estar sob a supervisão constante de especialistas para evitar rupturas e outras complicações do processo de nascimento.

Tratamento do colo do útero curto

No caso de pequenas alterações do colo do útero, medidas terapêuticas bastante conservadoras. A gestante é prescrita medicação para aliviar o tônus ​​uterino excessivo e retornar o colo do útero a uma condição aceitável. Para fazer isso, drogas administradas por via intravenosa, como magnésia e ginipral.

Em várias situações clínicas, medidas corretivas imediatas podem ser necessárias. Sua lista deve incluir:

  1. Estreitamento mecânico da garganta interna (o método mais aceitável).
  2. Costurando a garganta externa.
  3. Fortalecer as estruturas musculares ao longo das paredes laterais do colo do útero para estreitar o canal.

A intervenção cirúrgica pode ser prescrita com uma história de abortos espontâneos e nascimentos prematuros, com progressão intensiva da ICN. Entretanto, a correção cirúrgica pode ser contraindicada em condições patológicas do sistema cardiovascular, fígado, rins, patologias hereditárias e mentais, aumento da excitabilidade não corrigida das paredes uterinas, sangramento, desenvolvimento anormal da criança.

A operação pode ser realizada no período de 13 a 27 semanas de transporte de uma criança. Para evitar a transmissão ascendente, a intervenção pode ser feita a partir da semana 7 até a semana 13. No caso de contraindicações, é realizada terapia conservadora, recomenda-se repouso no leito e redução da medicação da excitabilidade do útero.

Existem também métodos não cirúrgicos de correção de estado. Distinguem-se pela segurança, não invasividade e facilidade de atendimento ambulatorial. Estes incluem a instalação de um pessário ou anéis de Golgi. Esses métodos de correção mostram a eficácia no caso de baixa gravidade das manifestações da patologia. No entanto, essas técnicas são apropriadas e após a correção cirúrgica para reduzir a pressão no pescoço costurado.

Colo do útero curto durante a gravidez: como reconhecer?

Normalmente, o comprimento do colo do útero é de 3,5 cm, mas se estamos falando de sua condição patológica, esse número cai para 2,5 cm ou menos. Em forma, assemelha-se a um cone. Sua estrutura é representada por um terço por fibras musculares fortes, que fixam com segurança o feto no órgão genital durante a gravidez.

Se o colo do útero encurtado em uma mulher é devido à hereditariedade, então este fato pode ser reconhecido muito antes do início da gravidez. As meninas que visitam regularmente um ginecologista desde a puberdade, como regra, estão cientes de seu diagnóstico. Para evitar complicações, ele é necessariamente levado em conta pelo médico no estágio de planejamento da concepção pelo paciente.

Se a mulher chegou ao ginecologista já em posição, então o médico será capaz de estabelecer o fato de um colo do útero curto durante um exame de rotina em uma cadeira ginecológica. Como regra, nesses casos, o especialista também envia o paciente para um exame de ultrassonografia transvaginal, que poderá confirmar sua suposição.

O que é pescoço curto perigoso durante a gravidez?

O maior perigo de um colo do útero curto durante a gravidez está na insuficiência ístmico-cervical (ICN), levando ao risco de aborto espontâneo. Se o seu comprimento for inferior a 2,5 cm, então não será capaz de manter o feto por muito tempo e a revelação prematura da cavidade uterina começará. Não detectado na patologia do tempo leva à perda da gravidez.

Durante o parto propriamente dito, há uma alta probabilidade de sua ocorrência rápida e complicações associadas a ele: lesões, lágrimas, etc. Além disso, o encurtamento do órgão reprodutor não protege o feto de forma confiável, já que não há barreira completa da microflora patogênica penetrando de fora.

Felizmente, esse estado não é um obstáculo para a maternidade. Mesmo na presença de insuficiência istmo-cervical, é possível suportar e dar à luz uma criança se as medidas terapêuticas e preventivas necessárias forem tomadas a tempo.

Um colo do útero curto durante a gravidez pode afetar negativamente todo o processo de transporte de uma criança. Fatores agravantes como fetos grandes, polidrâmnios e múltiplos fetos agravam essa patologia. Leia mais sobre carregar uma gravidez múltipla →

Causas do encurtamento cervical:

  • patologias congênitas devido à genética: desenvolvimento incompleto do canal cervical, estrutura anormal do útero, infantilismo sexual,
  • anormalidades hormonais que ocorreram durante a gravidez,
  • hiperandrogenismo,
  • lesões adquiridas do colo do útero do órgão reprodutor, obtidas durante o parto, aborto ou raspagem,
  • displasia de órgãos.

Pela primeira vez, os sintomas de um colo do útero encurtado são sentidos a partir da 16ª semana de gravidez. O fato é que, a partir desse momento, o feto começa a ganhar peso mais rapidamente, exercendo maior pressão sobre a boca do útero. O médico pode descobrir isso durante o próximo exame na cadeira ginecológica. Quaisquer queixas da futura mãe geralmente estão ausentes.

Em casos raros, os sintomas de um colo do útero curto durante a gravidez são manifestados por secreções insignificantes misturadas com sangue ou secreções mucosas abundantes do trato genital, dores no baixo-ventre. Se uma mulher tiver esses sinais, o médico deve encaminhá-la para uma ultrassonografia. O primeiro sintoma de um aborto que começou ou o início do trabalho de parto prematuro está sangrando a qualquer momento. Mais sobre os sintomas do aborto →

Pin
Send
Share
Send
Send